segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Sala 1 - A importância da Linguagem Oral e Abordagem à Escrita

Linguagem  oral

A aquisição  de um maior dominio da linguagem oral é um objetivo fundamental da educação pré - escolar, e para que tal aconteça é necessário criar as condições para que as crianças aprendam.

Neste âmbito, na nossa rotina e atividades diárias são criadas inumeras situações de aprendizagem:


. conversas no tapete sobre os temas em discusão (dedo no ar para falar, fala um de cada vez, por respeito pelo que fala e para todos poderem ouvir)...


. exploração do carater lúdico da linguagem (canções, rimas, lengas lengas, trava linguas, adivinhas,poesia, prosa, jogos verbais - permitem trabalhar ritmos, facilitam a clareza da articulação e podem ser meios de competência metalinguística, ou seja de compreensão do funcionamento da lingua)...


. narrar acontecimentos, reproduzir ou inventar histórias, debater em comum as regras do grupo, negociar a distribuição de tarefas, analisar o comportamento,  planear oralmente o que se quer fazer e contar o que se realizou, fazer perguntas...

                                             



                                                                                 ...

. expressar e comunicar sentimentos através de gestos ou mimica, relacionada com a expressão dramática (comunicação não verbal)...


Frequentemente recorremos às expressões faciais  para comunicar não verbalmente.


 
Pretende-se com este tipo de atividades que a criança vá dominando a linguagem, alargando o seu vocabulário, construindo frases mais completas e complexas, adquirindo um maior domínio da expressão e comunicação que lhes permitam formas mais elaboradas de representação.



Abordagem à Escrita

Não há hoje em dia crianças que não contatem com o código escrito e que, por isso, ao entrar para a educação pré- escolar não tenham já algumas ideias sobre a escrita. Assim, no ensino pré escolar pretende-se tirar partido do que a criança já sabe, permitindo-lhe contatar com as diferentes funções do código escrito. Não se trata de uma introdução formal e clássica à leitura e à escrita, mas de facilitar a emergêngia da linguagem escrita.

Ambientes de aprendizagem promotores  da apropriação da leitura:

Dispor de uma grande variedade de textos e formas de escrita é uma forma de ir apreendendo as suas diferentes funções:

- o livro (instrumento fundamental);
- dicionários;
- enciclopédias;
- jornais;
- revistas;
etc...
Procurar com as crianças informações nestes diferentes tipos de textos constituem meios para que as crianças se apercebam das diferentes utilidades da leitura.


- intrepretar imagens ou gravuras de um livro, descrever gravuras, inventar pequenas lengendas, organizar sequências...




                                              trabalhos realizados no caderno




Ambientes de aprendizagem promotores  da apropriação da escrita:
. escrever o nome e a data:




. registar acontecimentos importantes, escrevendo quem disse o quê:





. as imitações do código escrito vão-se tornando progressivamente mais próximas do modelo:


. utilização do caderno de atividades, permite a organização mais cuidada dos trabalhos realizados e descobrir a direcionalidade da escrita (da esquerda para a direita):




. o desenho é também uma forma de escrita:


 

. código informático - novas tecnologias
 Através da leitura de histórias, são retiradas palavras cujo significado a criança ainda não compreende, são escritas no quadro, pesquisa-se o seu significado no dicionário, as crianças escrevem-nas no computador para posteriormente serem ordenadas no nosso dicionário de parede.








. O gosto e interesse pelo livro e pela palavra escrita inicia-se na educação pré-escolar. O contacto frequente com bibliotecas pode começar nesta idade valorizando este espaço de recreio e de cultura (já recorremos duas vezes à biblioteca Municipal da Fuseta - para recolher informação sobre o corpo humano e para pesquisarmos sobre oa malefícios do tabaco).


O contato com o código escrito e impresso nos seus diferentes formatos, o reconhecimento de diferentes formas que correspondem a letras, a identificação de algumas palavras ou de frases, permitem uma apropriação da espacificidade do código escrito.
Assim as crianças poderão compreender que o que se diz se pode escrever, que a escrita permite reciordar o dito e o vivido, mas constitui um código com regras próprias.





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário